Arquivo

Arquivo de agosto, 2010

Troca da porta 25 pela 587 para evitar SPAM.

18, agosto, 2010 Sem comentários

Altere a configuração de seu leitor de e-mail para não ter envio de mensagem cancelado.

Para evitar a disseminação de spam, o Comite Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) recomendou o bloqueio do “local” por onde grande parte dos e-mail falsos são recebidos, a porta 25 de seu computador. O bloqueio ocorre no dia 5 de janeiro de 2010.

Se você usa programas de gerenciamento de e-mails —como o Outlook, Thunderbird ou Mail— para não ficar impedido de mandar mensagens, a porta de envio deve ser trocada de 25 para 587. Usuários apenas de webmail não serão impactados.

“Com a implementação das recomendações, será mais difícil para que computadores zumbis sejam utilizados para o envio de spam, pois além de necessitar de um usuário e senha para utilizar o serviço de e-mail, ele ainda deverá burlar os possíveis controles antispam existentes no serviço mencionado”, diz Nelson Novaes, gerente de segurança do UOL.

O Comitê espera reduzir o tráfego de spam em até 90%, segundo Henrique Faulhaber, Conselheiro do CGI e Coordenador da Comissão de trabalho Antispam no Brasil. Empresas como Telefônica, Oi e Net vão bloquear os dados transmitidos pela porta 25.

O Brasil é o campeão no envio de spam segundo uma lista divulgada pelo Composite Blocking List, grupo de combate às mensagens indesejadas —15% de todos os spams enviados no mundo vêm de IPs brasileiros. O país está na frente da Índia (9,7%), Rússia (9,6%) e Turquia (7,9%).

A medida não é nova, órgãos internacionais aconselham o bloqueio da porta 25 desde 1998, mas apenas em 2005, provedores e operadoras de todo o mundo começaram a adotá-la em massa. O UOL oferece o acesso pela porta 587 desde 2004.

Rodrigo Albani, gerente geral de administração de sistemas do UOL, explica que a alteração será no trânsito das mensagens na rede. “Pela porta 25 a mensagem é enviada direto para o destinatário. É o que chamamos de ‘envio direto’. Com a porta 587, o usuário precisa se autenticar em um servidor, por onde passa o e-mail. Então é mais fácil barrar spams. A ideia é deixar a porta 25 apenas para tráfego entre servidores”.

Fonte: UOL Tecnologia

Links Relacionados:

http://www.antispam.br/admin/porta25/definicao/

http://www.antispam.br/admin/conf-servicos/correio/

Categories: Segurança Tags: , , ,

Evolução dos notebooks.

17, agosto, 2010 Sem comentários


Evoluímos tanto em tecnologia, por que não evoluimos como seres humanos ???

Categories: Tecnologia Tags: ,

Remova as propagandas do MSN.

16, agosto, 2010 2 comentários

Você não aguenta passar o mouse sem querer sobre aquele banner idiota do MSN e uma sinfonia de jingle idiota começa a tocar sem sentido ??

Ou pior, você passa o mouse sem querer sobre aquele banner idiota, e ele se expande e vira um out door no seu pc e bailarinas seminuas do cazaquistão começam a dançar par anunciar que um novo jogo para celular está disponível ???

Seus problemas acabaram….. pois abaixo está a solução:

Seu msn com aquele banner infeliz no rodapé.

Para extermina-lo, siga os passos abaixo:

  1. Vá em Iniciar->Executar ou tecle a combinação Tecla Super + R para abrir a caixa de Execução do Windows. (Tecla Super é a tecla que geralmente traz o logotipo do Windows, ao lado da tecla Alt Direita).
  2. Digite o caminho: c:\WINDOWS\system32\drivers\etc\hosts e dê OK ou Enter.
  3. A seguir poderá ser solicitado um programa para abrir o arquivo hosts (arquivo sem extensão);
  4. Escolha o Bloco de Notas e dê OK;
  5. Agora o arquivo hosts estará aberto para inserção das linhas de bloqueio. Então no final do arquivo digite:
    # Inicio Bloqueio de Propagandas do MSN
    0.0.0.0 rad.msn.com
    0.0.0.0 rad.live.com
    0.0.0.0 view.atdmt.com
    # Fim Bloqueio de Propagandas do MSN
  6. As linhas com “#” são apenas comentários e não interferem na execução. Enquanto “0.0.0.0” é a relação entre IP nulo e o endereço que se quer bloquear;
  7. Salve o arquivo, Arquivo->Salvar (Ctrl+S) e feche-o;
  8. Inicie ou reinicie o MSN (se já estiver aberto);
  9. Feito isso no rodapé do programa as propagandas de antes deverão ser substituídas pelo logotipo do Windows Live Messenger.

    Seu msn sem propaganda, aeeeee !!!

Sendo preciso, reinicie o computador também e lembrando mais uma vez que para desfazer o processo, basta abrir o arquivo hosts e apagar as linhas descritas na etapa 5.

Claro que existem 1000 maneiras de preparar Neston, mas outras maneiras envolvem instalação de Plugins, e Plus, e outros cacarecos que vão deixar o seu MSN mais bonitinho e também mais vulneráveis a ataques, portanto essa é a solução mais simples de implementar.

Até a próxima.

Oracle processa Google por violar patentes Java na criação do Android.

13, agosto, 2010 Sem comentários

Empresa acusa Google de infringir propriedade intelectual relacionada à tecnologia Java criada pela Sun, da qual agora é dona.

A Oracle entrou com um processo na Justiça contra a Google, sob a acusação de que seu sistema Android para smartphones viola as patentes e os direitos de propriedade intelectual relacionadas ao Java, afirmou a Oracle na quinta-feira (12/8).

“No desenvolvimento do Android, a Google conscientemente, diretamente e repetidamente infringiu a propriedade intelectual ligada ao Java, da Oracle. Este processo busca compensações apropriadas para tais violações”, informou a porta-voz da Oracle, Karen Tillman, em declaração.

O processo foi aberto na quinta-feira na Corte Distrital de San Francisco, na Califórnia, e pede um julgamento com júri.

A Google não respondeu imediatamente aos pedidos para comentários.

A Oracle tornou-se dona da tecnologia Java da Sun Microsystems quando comprou a empresa, numa transação que foi concretizada no começo de 2010.

Fonte: IDG Now

Categories: Negógios Tags: , , ,

Primeiro anúncio de Internet no Brasil……

12, agosto, 2010 Sem comentários

Anúncio da chegada da Internet no Brasil, isso é história.

Categories: Geral Tags: , ,

Totvs RS: agora, um canal único.

10, agosto, 2010 Sem comentários

A partir de setembro, estarão fusionados em uma subsidiária única todos os canais de marcas adquiridas nos últimos anos pela Totvs na região Sul: Datasul, RM, Microsiga e Logocenter.

Com a unificação, que gera um canal único distribuído entre unidades em Porto Alegre e Caxias do Sul, contando com um total de 300 colaboradores, não haverá mais ofertas segmentadas – como chegou a acontecer em alguns contratos, quando houve apresentação de produtos de mais de uma empresa do grupo, em uma espécie de concorrência interna. Agora, o portfólio é diversificado, mas integrado.

“Quem já é cliente do Microsiga Protheus, por exemplo, poderá seguir usando o ERP e adicionar uma ferramenta da RM, se assim o quiser, como o Totvs gestão de Obras, provindo do RM Solum. E tudo atendido pelo canal único Totvs”, destaca o diretor da Totvs RS, Luiz Azevedo.

Competição acirrada
Por outro lado, segundo o executivo, novos clientes contarão com soluções integradas, provindas do portfólio diversificado gerado pelas aquisições. É a chamada oferta Full Totvs, aposta da companhia – líder em ERP no país e na América Latina, com 38,03% e 31,2% de market share, respectivamente – para combater concorrentes como a gigante SAP.

“Nosso diferencial é uma oferta variada e integrada”, afirma Azevedo.

Carteira local
Hoje, são cerca de 650 clientes no Rio Grande do Sul, que concentra a segunda maior franquia da empresa no país. Deste total, 39% vêm da carteira da Microsiga, 35% da Datasul, 24% da RM e 2% da Logocenter.

2025 novidades
Para criar a oferta unificada, foram necessárias mais de 604.700 horas de desenvolvimento, o que resultou em um release do ERP Totvs 2011 com 2025 novas funcionalidades, em relação à versão anterior.

Conforme o diretor de Software da Totvs RS, Gilsinei Hansen, a oferta Full Totvs incluiu o trabalho de mais de 500 profissionais, entre desenvolvedores e analistas de sistemas, distribuídos por nove cidades, entre elas Porto Alegre, Caxias do Sul e Joniville.

Equipe
E falando em equipe, a Totvs sabe que não é só entre os clientes que se apresenta a concorrência do mercado de ERP. Em relação ao time de colaboradores, a competição também é acirrada.

Para garantir a manutenção da equipe, a empresa se vale do porte cada vez maior que vai atingindo.

“Hoje, com somos a maior empresa de aplicativos de gestão empresarial sediada em países emergentes. Atuamos em 11 segmentos, oferecendo soluções para todos os portes e tipos de negócio. Temos mais de 26 anos de experiência e atuamos em 23 países, atendendo a 23,7 mil clientes ativos”, destaca Azevedo. “Ao todo, são 9 mil colaboradores em toda a operação”, finaliza.

Fonte: Site Baguete

Categories: Negógios Tags: , , , ,

10 Pecados Cometidos em Campanhas Online.

10, agosto, 2010 Sem comentários

A Revista Amanhã trouxe como capa de sua edição do mês de março de 2010 (no. 262) a matéria intitulada “Perdidas no Ciberespaço – A era digital ainda é um enigma para o marketing das empresas”.

Complementando, posso dizer que não é apenas o marketing das empresas que está perdido, mas também, as agências de marketing, publicidade, propaganda, relações públicas e todos aqueles que ainda não acordaram para essa nova realidade social, econômica e cultural.

Até mesmo Michael Porter precisou rever seu modelo estratégico graças aos “efeitos da rede”, então se agências que ainda carregam vícios de um paradigma já ultrapassado continuarem criando “artes bonitinhas”, sites ou hotsites para campanhas promocionais na internet, acreditando que isso resolve o problema da comunicação da marca com o cliente, estão complementa equivocadas.

Ao longo de nossa caminhada viemos acompanhando ações de marketing que nos remetem a idéias de ações “jogadas” e pouco persuasivas para o consumidor. A internet deixou de ser um cenário para amadores que acham que sabem fazer as coisas, mas contextualizando na realidade do mercado, hoje se qualquer empresa precisar de uma mídia digital para uma determinada campanha, encontramos, facilmente, vários profissionais para executar a ação, mas, no caso dessa empresa necessitar de um trabalho envolvendo planejamento, pesquisa, entendimento do negócio com uma visão ampla e  não somente do ponto de vista da execução, que é extremamente limitada por falta de conhecimento técnico, encontram-se poucos profissionais capacitados.

A constante mudança no mercado, a alta e acirrada competitividade entre os concorrentes, a exigência dos consumidores por produtos/serviços de maior qualidade, requer profissionais capacitados que saibam planejar, para criar oportunidades de negócio, fazendo assim, o marketing digital acontecer. Nesse sentido é necessário conhecer o ambiente em que se está inserido, ou seja, o mercado (marketing) para determinar qual é a melhor caminho para o sucesso da ação.

Para aqueles que estão começando na área ou que se interessam mais pelo assunto, elaborei um guia com 10 pecados que muitas agências off-line ainda cometem quando aventuram-se no meio digital:

1 – Não pesquisar
Esse é o primeiro pecado de qualquer campanha, seja no mundo off-line quanto no on-line. Existem várias formas de você ter um insight (termômetro) sobre determinado produto/serviço. Cabe ressaltar que a metodologia para elaborar pesquisas no meio on-line diferem-se das off-line. No ambiente on-line podem ser utilizadas ferramentas como o Google Insights, Google Trends, Orkut, Facebook, Twitter, Alexa, Google AdPlanner, enquetes em sites, fóruns de discussão, entre outros.

Um exemplo positivo de uso de pesquisa através da internet foi feito pela Doritos que identificou a demanda na comunidade do Orkut “Queremos Doritos 5Kg“, que consta com quase 1.700 membros, produziu e enviou uma versão exclusiva de 5Kg do salgadinho para os participantes dessa comunidade. FANTÁSTICO!!!

2 – Não ter metas e objetivos
Todas as campanhas devem ter metas e objetivos ininciais bem definidos, sejam eles, cadastros, visibilidade de marca, consumidores impactados, vendas, etc… Sendo assim, no final da ação teremos dados e informações para avaliar o sucesso ou fracasso da ação promocional. Um dos pontos chaves é fazer a comparação dos resultados obtidos com benchmark ou resultados comercias no mesmo período de anos/meses anteriores.

3 – Não planejar
Esse é mais um dos pecados que não deve ser cometido, não planejar corretamente a campanha. As perguntas à serem respondidas são muitas: Quem são meus consumidores alvo? Eles acessam a internet de casa ou do trabalho? O que fazem na internet? Quais as mídias e redes sociais que participam? Quais seus interesses na WEB? Qual mídia a ser utilizada? (TV, rádio, revista, outdoor, jornal, internet, etc…) Qual a comunicação (mensagem) em cada mídia? Qual o cronograma de ações? Qual a duração da campanha? Qual o foco central da ação? Qual será o prêmio? (concurso, sorteio, desconto, etc…) O regulamento está dentro do código de ética da AMPRO e bem explicado para o consumidor? Essas são algumas das questões que um bom profissional de planejamento deve responder antes de dar início a execução de uma campanha. Um planejamento bem feito evita o fracasso e o retrabalho da campanha.

4 – Não ter conhecimento em TI e Internet
As agências off-line deveriam ter o mínimo de conhecimento em Tecnologia da Informação e Internet para saber quão complexo é a idéia que está sendo vendida ao cliente. Após a aprovação, as agências, apavoradas, começam a buscar fornecedores para executá-la, mas não têm conhecimento técnico para informar se haverá integração com banco de dados, qual servidor utilizar, qual a linguagem de programação, quem irá fazer o CSS, quantos dias demora para finalizar a ação, entre outros requisitos que o profissional de TI precisa ter em mãos para que seu trabalho seja realizado com sucesso. Na maioria das vezes, as agências passam para o setor de TI a idéia através de uma imagem (foto), e também, até em uma folha impressa, é a mesma coisa que chegar para um engenheiro civi l ou construtor com um recorte ou foto de uma casa e dizer para fazer igual no período de tempo estipulado e já com o valor do material a ser comprado, lamentável!. Dessa forma todas as agências deveriam ter um profissional responsável pela área de TI que tivesse conhecimento em marketing, publicidade, internet e TI.

5 – Não divulgar
Outro pecado cometido é não divulgar, empresas acreditam que os consumidores, por mais conhecida que seja a marca, vão entrar nos seus sites ou hotsites digitando a url do navegador. Isso nunca vai acontecer, “quem não é visto não é lembrando”, seguindo esse contexto, faça um bom plano de mídia, escolha os melhores sites (aqueles relevantes para seu público-alvo), blogs e programas de publicidade para divulgação de seus produtos/serviços.

Segundo o “Estudo de Lembrança de Anúncios e Impacto de Marca no Brasil realizado pela Media-Screen em setembro de 2007” 95% dos internautas acessam mecanismos de busca, então se sua empresa fazer uma ação promocional on-line e não divulgar no Google, você já sabe o que pode acontecer.

Lins Patrocinados, Banners, Advergames, Programas de Afiliados, Mobile Marketing, e-Mail Marketing, QR Code, etc… são algum dos formatos que devem ser utilizados para campanhas no meio on-line.

6 – Não otimizar
Para Steve Jobs as decisões devem ser tomadas baseada em DADOS não em SUPOSIÇÕES. Essa frase deve ser seguida em qualquer campanha promocional. Imagine se conseguíssemos identificar que os outdoors espalhados pelos n pontos não estão passando a mensagem que o consumidor gostaria de escutar e campanha não está gerando o resultado que esperávamos, isso tudo na primeira semana. O que fazer? Trocar os outdoors? Não vai adiantar e, também, não será viável economicamente.
Já no meio on-line, através das ferramentas de análise de tráfego (Google Analytics, Omniture) e uma equipe de profissionais capacitados, consegue-se fazer mudanças em tempo real. Ou seja, moldar a campanha conforme a necessidade do consumidor.

7 – Não monitorar
Muitas agências e empresas criam sites, blogs, hotsites, twitter, orkut, etc… sem ter ferramentas nem cérebros (pessoas) para identificar os problemas e oportunidades geradas através do contato do consumidor com a marca. Dessa forma, é necessário que todo e qualquer clique (passos do cliente) que o usuário der em banners, sites, hotsites, blogs sejam identificados para compreendermos qual sua real necessidade e oferecer o produto/serviço que ele realmente espera.

8 – Não integrar as mídias
Quando o ponto central da ação acontecer no meio on-line (site, hotsite, blog, twitter), é necessário que os meios tradicionais (outdoors, TV, rádio, revista, jornais, etc…) sirvam de apoio, ou seja, estimulem o consumidor realizar a ação. Hoje o consumidor é multifacetado, consome um pouco de cada mídia, umas com mais intensidades, outras com menos. Nesse sentido, as agências devem pensar em campanhas em ambiente global, que seja aplicada em qualquer meio, não apenas nos meios que as beneficiem (20% de BV).

9 – Não permitir a colaboração do consumidor
A comunicação deixou de ser uma via de mão única, o consumidor não quer ser apenas um expectador e ouvinte, ele quer ser o veículo, quer construir, participar, colaborar com a marca. Hoje vivemos na Sociedade Digital, onde os prosumers (produtores e consumidores de conteúdo) se destacam e viram influenciadores e formadores de opinião. Nessa nova realidade social e mercadológica o poder das marcas não está mais nas mãos das empresas, mas sim nas mão do consumidor. Nesse sentido, não permitir que o consumidor participe da ação, fazendo dele o canal de divulgação, acarretará em investimentos desnecessários.

10 – Não inovar
Agências, empresas, anunciantes precisam reiventar-se, participar, conhecer, inovar, transformar, senão poderá acontecer o que já comentei no post “A Extinção do Profissional de Marketing Tradicional” – “O profissional de marketing tradicional está com os dias contados, se ele não se atualizar, ficará para trás. Então, atualizem-se, evoluam e se adaptem a essa nova realidade ou acontecerá com vocês o mesmo que aconteceu com os dinossauros”.

Não cometam esses pecados e terão sucesso em suas campanhas on-line.

Finalizo este artigo com uma frase de meu amigo Albert Einstein: “A mente que se abre a uma nova IDÉIA jamais voltará a seu tamanho original“.

* Rafael Comin é consultor de marketing digital da Ebis.

Fonte: Site Baguete

O DBA de alta performance.

6, agosto, 2010 Sem comentários

Hoje conversaremos a respeito do trabalho do profissional responsável por Banco de Dados e seus desafios. Sabemos que o grande objetivo de ter um banco de dados em uma empresa é registrar e manter suas informações mais importantes. O responsável pela manutenção e administração dessas informações e de todos os sistemas que rodam utilizando bancos de dados é o Administrador de Banco de Dados, mais conhecido como DBA.

A cada ano, o trabalho desse profissional está cada vez mais complexo, pois os fatores que mais o afetam estão em constante crescimento, mais dados, mais bancos de dados, virtualização e carência de profissionais eficientes no mercado de trabalho.

O crescimento de dados, por exemplo, tem sido enorme nos últimos anos. Há alguns anos (década passada), os DBAs se preocupavam com Megabytes; hoje, têm que lidar com Terabytes e, já em algumas grandes companhias, com Pentabytes.

Isso tem gerado tarefas bem complexas para seu gerenciamento. Como, por exemplo, monitorar com segurança seus backups, o monitoramento e planejamento desse crescimento, Multiplataforma, Virtualização, Tunning, Capacitação e muitos outros.

E isso é apenas parte de suas funções, o DBA deve se preocupar se as aplicações que rodam utilizando os bancos de dados foram criadas dentro dos padrões que o banco exige, com tabelas modeladas, quantidade de índices nas aplicações, usuários que as utilizarão, enfim uma série de outros fatores que podem, e muito, atrapalhar seu desempenho. Digo “seus”, pois à medida que cresce o volume dos bancos de dados crescem também os tipos de plataformas e de versões a serem administradas.

Hoje a grande maioria dos DBAs tem que gerenciar ambientes de múltiplos bancos de dados e o seu mais novo desafio é estender seus conhecimentos a outros tipos não conhecidos anteriormente pelo profissional.

Outro fator que está se tornando cada vez mais comum é a virtualização. Com o grande crescimento de “datacenters” virtualizados, criou-se outro tipo de problema para se administrar banco de dados, que vai desde o planejamento da capacidade de seus servidores ao monitoramento da performance.

Performance, esse é o grande desafio. Quem nunca ouviu “minha aplicação está travada” ou ainda “nosso sistema está com problemas hoje”, frases comuns que afetam diretamente os DBAs, pois todos acreditam ser deles a responsabilidade de uma aplicação rodar “a todo vapor”. O constante monitoramento da performance de um banco de dados é a garantia que os usuários acessem os dados mais rápidos com facilidade e que o banco de dados utilize seus recursos de maneira eficiente.

Hoje temos uma carência de bons profissionais. Administradores de bancos de dados experientes sempre foram difíceis de encontrar, o treinamento é fundamental na sua formação e para quem deseja estar atualizado para o mercado. Apesar de esses fatores aumentarem os desafios do dia-a-dia, fornecedores de banco de dados têm trabalhado para que seus bancos sejam cada vez mais “autogerenciáveis”, algo tremendamente positivo e com melhorias já notadas. Porém, a complexidade do ambiente de SGBD está aumentando e não parece ter um fim para a gestão e a intervenção humana.

Independente desses desafios, espera-se que o DBA, sobrecarregado de trabalho, mantenha os sistemas de banco de dados essenciais disponíveis e otimizados para ter alta performance. O DBA de alta performance deve concentrar-se nas áreas fundamentais do gerenciamento de banco de dados, que são: Armazenamento, Capacidade e Performance.

Segundo Scott Walz, diretor sênior de produtos da Embarcadero, “para cumprir essas metas, o DBA deve adotar uma estratégia e equipar-se com as ferramentas certas para enfrentar esses desafios, pois ainda há muito que aprender, compreender e dominar a cada novo lançamento de banco de dados”.

Fonte: Site IMasters

Categories: Oracle, SQL Server Tags: , ,

Bradesco de olho no Twitter, isso é presença.

5, agosto, 2010 Sem comentários

O Bradesco está com a “macaca” mesmo, é o único banco que eu mantenho conta, todo os outros parei de trabalhar pois as taxas são abusivas, o banco Real era decente até o Santander comprar, depois disso virou um mercado de taxas.

Bom, eu estava tentando pagar as minhas contas, como sempre faço, pela internet, mas o internet banking não está abrindo, não sei o motivo, mas verifiquei tudo o que era possível e nada.

Resolvi postar no Twitter o meu desabafo: “Bradesco lixo, banco lixo”.

Após alguns minutos vi meu echofron piscando lá com uma mensagem, mas não me liguei, então fui lá ver em “mentions” (to aprendendo a usar esse negócio), e vi q tinha uma mensagem do Alô Bradesco, vejam só: “@netrunner2099 Bom dia! O que houve em relação ao Banco? Podemos ajudar?”.

Vejam só, o Bradesco está de olho no twitter pra ver o povo sentando a boca.

Então, agora só vou usar o twitter pra reclamar, pois os telefones de SAC e etc, só tem máquina atendendo.

Parabéns Bradesco !!!

Categories: Utilidade pública Tags: ,

A crise segundo “Einstein”.

4, agosto, 2010 Sem comentários

“Não pretendemos que as coisas mudem se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar superado. Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que as soluções. A verdadeira crise é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis. Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo. Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la”

Por Albert Einstein

Fonte: Hunter Consulting Group

Categories: Geral Tags: , ,
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux