Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Oracle’

Mirandell Sistemas inicia suas atividades SaaS.

30, novembro, 2012 Sem comentários

A Mirandell Sistemas, em parceria com grandes fornecedores de software e data center, terminou de desenvolver seu modelo de SaaS, sendo assim, toda empresa que quiser usufruir dos sistemas que a Mirandell Sistemas revende, poderá assinar o serviço e utilizar sem se preocupar com investimentos em hardware, software e gerenciamento de infra-estrutura.

Com servidores localizados preferencialmente no Brasil, os serviços rodam em máquinas baseadas em cloud, sendo assim caso o cliente necessite de um upgrade no serviço, o ajuste será feito de forma transparente, sem burocracia e gastos com projetos de ampliação.

Dentre os produtos oferecidos no novo modelo estão:

– SupportCenter Plus (ManageEngine)

A ferramenta ideal para suporte a clientes que integra gerenciamente de ocorrências, gerenciamento de contatos e SLA, base de conhecimento em um pacote acessível e fácil de usar. Ajuda a resolver os problemas dos clientes com o portal Self-Service, onde é possível pesquisar a base de conhecimento.

  • Gerenciamento de contratos e contas de clientes
  • Catálogo de produtos
  • Gerenciamento de ocorrências
  • Base de conhecimento
  • Portal self-service
  • Gerenciamento de SLA

– ServiceDesk Plus (ManageEngine)

Software de Help Desk e gerenciamento de ativos 100% baseada em web. Integrando abertura de chamados, rastreamento de ativos, pedido de compra, gerenciamento de contratos e base de conhecimento em um pacote fácil de usar e barato, permite aumentar a produtividade de sua equipe de serviços de TI e manter seus usuários satisfeitos.

  • Controle de chamados de Help Desk
  • Base de conhecimento
  • Gerenciamento de ativos de TI
  • Controle de ordens de compra
  • Gerenciamento de SLA e contratos
  • Aderência as compliances ITIL, SOX e outras

– SEP Sesam (SEP)

Solução completa de backup e restore que atende diversas aplicações e SOs, permite a exportação dos dados para storage em nuvem, sendo assim seus dados estarão sempre protegidos em casos de furto, roubo ou até ameaças climáticas.

  • Backup e restore em disco e fita
  • Deduplicação
  • Unidade WORM (Write once, read many)
  • Backup granular de arquivos, caixas de correio e mensagens
  • Backup configurável em multicanais
  • Velocidade otimizada
  • Compressão dos dados e criptografia.

Mais informações: Mirandell SaaS

Senha case sensitive no Oracle 11

14, janeiro, 2011 Sem comentários

Estamos validando a vesão do Oracle 11 aqui na empresa para a troca do servidor de Banco de Dados, e após fazer toda a instalação, subir o dump e tudo mais me deparei com um problema, a senha do usuário está case sensitive.

O ERP da Totvs (CorporeRM) utiliza uma senha para a aplicação acessar o Oracle e a mesma sempre foi cadastrada maiúscula, mas agora não entrou, fui pesquisar e encontrei um tópico falando sobre isso, segue abaixo a solução:

Abra o SQLPLUS e execute o seguinte comando:

alter system set sec_case_sensitive_logon=false

Pronto, problema resolvido, esse parâmetro não existia nas versões anteriores, foi implementada na versão 11.

[]´s

Fonte: Site AskTom

Categories: Oracle Tags: , ,

Apple se une à Oracle no OpenJDK

16, novembro, 2010 Sem comentários

A Oracle contará com a Apple no OpenJDK. O anúncio da adesão da empresa ao grupo foi feito na sexta-feira, 12.

Segundo o site da Computerworld, a Apple contribuirá “a maioria dos principais componentes, ferramentas e tecnologias exigidos para uma implementação do Java SE 7 no Mac OS X”.

Além disso, a Apple se comprometeu a manter a disponibilidade do Java SE 6 para o Mac OS X Snow Leopard e o futuro Mac OS X Lion. A Oracle vai distribuir o Java SE 7, bem como futuras versões, para o OS X.

O ingresso da Apple inclui a contribuição com máquinas virtuais Java de 32 e 64 bits, bibliotecas de classes, uma pilha (stack) de rede e as bases para um novo cliente gráfico.

No  mês passado, o compromisso da Apple com o Java foi colocado em dúvida quando a empresa depreciou seu runtime Java para a versão Mac OS X 10.6 Update 3, declarando que: “os desenvolvedores não deveriam confiar no runtime Java distribuído pela Apple nas futuras versões do Mac OS X”.

Com o anúncio de entrada no OpenJDK, a declaração ganha novo significado. Para  Jeffrey Hammond, da Forrester Research, a entrada da Apple pode significar a manutenção do suporte ao Java pelo Mac.

“A Apple fica feliz porque pode reduzir seus esforços, e a Oracle fica feliz porque podem controlar mais uma plataforma de implementação do Java”, concluiu Hammond.

No mês passado, a IBM também anunciou seu apoio à Oracle no OpenJDK, num esforço para fazer dele “a principal arena para o desenvolvimento do Java SE de código aberto”.

Fonte: Site Baguete

Categories: Java Tags: , , , ,

Reduzindo o UNDO Tablespace.

21, agosto, 2010 2 comentários

Vocês já devem ter passado por isso, seu banco de dados Oracle tem uma tablespace gigantesca lá que poucos sabem para que serve, mas é de vital importância para o funcionamento do Oracle.

Em primeiro lugar vamos descobrir para que serve esse cara chamado UNDO. O resumo da ópera é simples, essa tablespace é utilizada para armazenar todas as operações que enviamos para o Oracle e aguardam um COMMIT ou ROLLBACK. Dependendo do tamanho da operação que é feita esses dados vão inflando o arquivo e ficam a disposição do Oracle Flashback.

Como na maioria das vezes só temos esse problema na “hora da morte”, fechamento de folha, comissão e etc, aí vai a dica pra resolver o problema na hora do desespero.

--Criando uma nova Tablespace
CREATE UNDO TABLESPACE undotbs_02 DATAFILE 'c:\oracle\product\10.2.0\oradata\orcl\undotbs_02.dbf' SIZE 2M REUSE AUTOEXTEND ON;
--Alterando o sistema para utilizar o novo tablespace
ALTER SYSTEM SET UNDO_TABLESPACE = undotbs_02;
--Dropando a tablespace antiga (Gigantesca)
DROP TABLESPACE undotbs1;

Agora abra o oracle pelo DOS:

C:\sqlplus / as sysdba

Pare a database digitando o comando abaixo:

SQL>shutdown immediate

Aguarde o shutdown, vá na pasta onde o “undotbs01.dbf” gigante está e exclua-o.

No prompt do Oracle digite o comando:

SQL>startup

Aguarde o startup do banco de dados e execute os comandos abaixo:

--Recriando o arquivo UNDO
CREATE UNDO TABLESPACE undotbs1 DATAFILE 'c:\oracle\product\10.2.0\oradata\orcl\undotbs01.dbf' SIZE 2M REUSE AUTOEXTEND ON;
--Alterando o sistema para utilizar o arquivo UNDO anterior
ALTER SYSTEM SET UNDO_TABLESPACE = undotbs_02;
--Dropando a tablespace temporária
DROP TABLESPACE undotbs_02;

Pronto, seu Oracle voltará a funcionar e seus cabelos deixarão de cair na hora do pesadelo. Quem tiver tempo e paciência, dê uma lida no link abaixo, pois lá fala tudo sobre essa tablespace.

Links relacionados:

Oracle® Database Administrator’s Guide – Managing the Undo Tablespace

Categories: Oracle Tags: , ,

Oracle processa Google por violar patentes Java na criação do Android.

13, agosto, 2010 Sem comentários

Empresa acusa Google de infringir propriedade intelectual relacionada à tecnologia Java criada pela Sun, da qual agora é dona.

A Oracle entrou com um processo na Justiça contra a Google, sob a acusação de que seu sistema Android para smartphones viola as patentes e os direitos de propriedade intelectual relacionadas ao Java, afirmou a Oracle na quinta-feira (12/8).

“No desenvolvimento do Android, a Google conscientemente, diretamente e repetidamente infringiu a propriedade intelectual ligada ao Java, da Oracle. Este processo busca compensações apropriadas para tais violações”, informou a porta-voz da Oracle, Karen Tillman, em declaração.

O processo foi aberto na quinta-feira na Corte Distrital de San Francisco, na Califórnia, e pede um julgamento com júri.

A Google não respondeu imediatamente aos pedidos para comentários.

A Oracle tornou-se dona da tecnologia Java da Sun Microsystems quando comprou a empresa, numa transação que foi concretizada no começo de 2010.

Fonte: IDG Now

Categories: Negógios Tags: , , ,

Verdades sobre o Chuck Norris (Versão DBA)

6, julho, 2010 Sem comentários
  • Chuck Norris não faz DELETEs. Ele olha para os registros e eles correm de medo.
  • Chuck Norris não cria PKs. Os registros simplesmente não atrevem-se a duplicar.
  • Chuck Norris não usa LOG. Ele lembra de todos registros que alterou.
  • Chuck Norris não usa LOG. Ele não vai falhar.
  • Chuck Norris não cria índices. Ele sabe que os registros retornarão o mais rápido que puderem.
  • MSSQL SERVER é muito mais rápido que ORACLE. Basta que o DBA seja Chuck Norris.
  • Uma vez adaptaram o ROUNDHOUSE KICK para o ORACLE. Assim nasceu o TRUNCATE TABLE.
  • Chuck Norris não dá DROP TABLE. Ele dá ROUNDHOUSE KICK TABLE.
  • Uma vez Chuck Norris deu um ROUNDHOUSE KICK em um banco poderoso. Hoje ele é conhecido por ACCESS.
  • Chuck Norris sabe todos os erros do ORACLE de cor. Porque ele criou eles.
  • SELECT SUM(FORÇA) FROM CHUCK_NORRIS; Internal error. Don’t call the support.
  • SELECT CHUCK_NORRIS; Drop database sucessful.
  • SELECT ROUNDHOUSE_KICK FROM CHUC… Lost connection.
  • DELETE FROM CHUCK_NORRIS. Not Found. (Ele está atrás de você, a ponto de dar um ROUNDHOUSE KICK!!!)
  • Chuck Norris tem IGNORE CONTRAINTS automático. Ninguém restringe nada a Chuck Norris. Ninguém.
  • Chuck Norris não faz cursos de ORACLE. A ORACLE é que faz cursos com ele.
  • Chuck Norris instala o ORACLE sem ler o manual. (Quem você pensa que é para ter tentado isso?)
  • Chuck Norris instala o ORACLE em um 486. Rodando KURUMIM. Em 2 minutos.
  • Chuck Norris instala o MSSQL Server em um Pentium 100MHZ. Rodando Solaris. A partis dos fontes.
  • Chuck Norris instala o DB2 em um 486. Rodando WINDOWS VISTA. Sem HD.
  • Chuck Norris não tem Certificação. São as empresas que tentam tirar Certificação em Chuck Norris. Em vão.
  • Se disser ao DBA Chuck Norris que “o problema está no banco”, é melhor que esteja se referindo a algum banco Instituição Financeira.
  • Chuck Norris sabe qual o problema de performance do banco. Ele só está dando uma chance do banco se arrepender. 5… 4… 3…
  • Chuck Norris não cria STORED PROCEDURES. Todas suas Queries já se armazenam no banco, tentanto se esconder. Mas é inútil.
  • TRIGGERS tem este nome porque Chuck Norris sempre ameaçava atirar no banco quando ele não fazia algo automático.
  • Chuck Norris não faz Modelo de Dados. Ele encara o banco até que ele faça o modelo sozinho.
  • Chuck Norris instala o ORACLE sem a interface gráfica. E sem a interface texto. (Pergunte a ele você!)
  • Megabyte, Gigabyte, Terabyte, Petabyte, Exabyte, Chuckbite.
  • ORACLE tem as versões Personal, Standard, Enterprise e ChuckNorris Edition. Mas nenhum computador é rápido o suficiente para rodá-lo.

Fonte: Vinicius Berti (O desocupado)

Categories: Piadas Tags: , , ,

Oracle compra Convergin.

23, fevereiro, 2010 Sem comentários

A Oracle anunciou na quinta-feira, 11, aquisição da Convergin, fornecedora de soluções de serviços de vendas em tempo real.

Os valores da negociação não foram divulgados.

Segundo comunicado enviado pela Oracle, os produtos da Convergin complementam a suíte de produtos integrados do Oracle Communications, que inclui o Oracle Communications Converged Application Server, o Oracle Communications Billing e o Revenue Management, além de programas de atendimento.

A plataforma Service Broker baseada em J2EE da Convergin permite que as operadoras de telecom gerenciem serviços como aplicativos e redes, incluindo recargas de celulares pré-pagos.

Fonte: Site Baguete

Oracle + Sun = DW mais rápido do mundo

27, janeiro, 2010 Sem comentários

A compra da Sun pela Oracle, fechada em US$ 7,4 bilhões e concluída esta semana, não deve preocupar qualquer cliente da companhia adquirida: conforme o presidente da Oracle, Charles Phillips, explicou em um evento transmitido a toda imprensa mundial via webcast nesta quarta-feira, 27, não haverá demissões massivas e, ao contrário do temor manifestado por alguns usuários, não haverá qualquer perda dos produtos em uso, e sim um upgrade das soluções e serviços.

“O passado é feito de muitos componentes, de muitos fabricantes diferentes, o que torna tudo muito variado, muito pouco seguro, muito caro. O presente e o futuro são de integração”, explicou Phillips, ressaltando que, para promover a integração com a Sun, a companhia investiu US$ 4,3 bilhões em P&D no último ano.

A máquina mais rápida
Com a tecnologia adquirida da Sun, a Oracle lança o Exadata Database Machine 2, solução de hardware e software que Phillips define como “a mais rápida do mercado para data warehouse e processamento de transações online”, capaz de processar em até dez vezes menos tempo do que os equipamentos tradicionais.

Com a novidade, a Oracle pretende bater concorrentes como IBM e EMC.

O Exadata Database Machine reúne servidor e storage, tecnologia Sun FlashFire, Database 11g Release 2 e Oracle Exadata Storage Software Release 11.2.

Nada de demissões
Quanto ao temor dos colaboradores da Sun, o VP sênior da Oracle, Bob Shimp, garante que não há qualquer risco de demissão em massa.

Pelo contrário: segundo o CEO da Oracle, Larry Ellison, declarou ao Wall Street Journal nesta quarta-feira, 27, o plano da empresa é contratar mais dois mil funcionários, nos setores de vendas e engenharia, nos próximos meses.

Fonte: Site Baguete

Oracle SQL Developer 2.1 disponível.

11, janeiro, 2010 2 comentários

A Oracle liberou o Oracle SQL Developer versão 2.1 para download.

Para quem não conhece, o Oracle SQL Developer é uma ferramenta Free da Oracle para desenvolvimento em PL-SQL em banco de dados Oracle.

Links relacionados:

Download do SQL Developer

Notas da Versão 2.1

Função TRUNC (data e hora) no SQL Server.

28, novembro, 2009 4 comentários

Caros,

Estava ajustando um módulo de classificados em um sistema, quando me deparei com um obstáculo. O cliente quer que os anúncios dos classificados expirem automaticamente após um determinado número de dias, para isso criei uma stored procedure que faz um select e um update no banco, segue abaixo o trecho:

DECLARE
            
@VALIDADE                          NUMERIC(1)
BEGIN
             S
ET @VALIDADE = CONVERT(NUMERIC, (SELECT VALORSTRING FROM PARAMETRO WHERE ID = ‘VALIDADE’))
             
BEGIN TRAN
              U
PDATE CLASSIFICADO SET STATUS = ‘E’ WHERE DATAHORA <= DATEADD(D, @VALIDADE * – 1, GETDATE()) AND STATUS <> ‘E’
              
IF @@ERROR = 0 COMMIT TRAN ELSE ROLLBACK TRAN

Quando fui verificar se havia dado certo, qual não foi a minha surpresa, a validade para teste era de 2 dias, então ele fez o update em todos os registros até as 19h de antes de ontem, pois eu rodei a stored procedure as 19h, ou seja ele checou a hora completa, e essa não era a intenção.

Como eu também trabalho com Oracle, me lembrei da função TRUNC([valordata]) que tem no PL-SQL, então me lembrei que nunca tinha utilizado isso no SQL Server, e fui procurar no São Google, encontrei diversos perdidos com o mesmo problema e somente uma resposta, não achei muito atraente, mas foi a única que eu encontrei, então segue abaixo:

Utilize a função CONVERT(tipo, valor).

CONVERT(NUMBER, GETDATE()) –> isso vai retornar o número de dias desde 01/01/1900, o “NUMBER” deve estar sem definição mesmo, pois assim ele retorna um valor inteiro, então basta compará-lo com a data do registro, assim:

CONVERT (NUMERIC, DATAHORA) <= CONVERT(NUMERIC, DATEADD(d, @VALIDADE * 1, GETDATE()))

Quem não quiser utilizar essa adaptação técnica (gambiarra) pode criar uma função no banco:

CREATE   FUNCTION TRUNC(
         
@DATA                DATETIME
) RETURNS DATETIME
AS
BEGIN
          
SET @DATA = CONVERT(DATETIME, FLOOR(CONVERT(NUMERIC(18,6), @DATA)))
          RETURN @DATA
END
GO

Quem tiver sugestões ou idéia melhor, sinta-se em casa, faça seu comentário.

Encontrei também um site que ajuda nas diferenças entre os dois bancos:

http://www.dba-oracle.com/oracle_news/2005_12_16_sql_syntax_differences.htm

[]´s

Miranda.

Categories: SQL Server Tags: , , ,
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux