Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Cloud Computing’

Whitepaper da IDC descobre que clientes reduzem custos significativos ao usar a AWS.

2, setembro, 2015 Sem comentários

A IDC entrevistou dez organizações de setores variados que usam a Amazon Web Services (AWS) para medir como a AWS afeta suas operações comerciais e os ambientes de TI.

Amazon AWSO estudo descobriu que organizações de todos os tamanhos estão tendo benefícios econômicos importantes com a AWS.Os resultados demonstraram que os clientes estão reduzindo em média 64,3% do seu custo total de propriedade, tendo uma média de 560% do retorno sobre investimento (ROI) esperado e 1,5 milhão de dólares em benefícios por aplicação.

Descubra como sua organização pode produzir maior valor comercial usando a AWS.

A Netrunner Tecnologia pode auxiliar a sua empresa a levar seu negócio para a Nuvem.

Clique aqui para baixar o WhitePaper.

Categories: Cloud Computing Tags: , , ,

Venom: nova falha que atinge máquinas virtuais é o terror dos data centers

18, maio, 2015 Sem comentários

VenomEm 2014, o mundo temia uma ameaça chamada Heartbleed, que deixava expostos os dados de inúmeros usuários a partir de uma brecha de segurança no OpenSSL. Um ano se passou e a história é agora é outra: o “Virtualized Environment Neglected Operations Manipulation”, também conhecido como Venom.

O grande alvo da falha são data centers, que costumam condensar o conteúdo de clientes em máquinas virtuais, ou seja, múltiplos sistemas operacionais funcionando em um único servidor. Essas plataformas compartilham recursos entre si, mas são vistas como itens individuais pelo sistema que gerencia tudo isso.

O que o Venom faz é garantir acesso a esse sistema de gerenciamento, o que significa portas abertas a todos os dispositivos e redes do data center. A causa é um código de controle que era ignorado pela segurança e que, se receber uma ação construída e enviada de forma precisa pelo hacker, “quebra” a plataforma e garante a invasão.

De máquina em máquina

Em outras palavras, o criminoso em si faz isso de uma máquina virtual própria para ganhar autorizações a outras máquinas virtuais, incluindo aquelas de outras pessoas ou companhias, e aos dados contidos nelas. O bug original foi encontrado em 2004, mas o uso criminoso só foi descoberto neste ano. Ferramentas como Xen, KVM e VirtualBox são vulneráveis, enquanto VMware, Microsoft Hyper-V e Bochs não são afetados.

Apesar de essa invasão ser relativamente fácil para entendidos na área, o desenvolvimento do código é algo bem mais complexo e ganhar acesso a uma máquina virtual do sistema com altos privilégios de root não é uma tarefa comum.

Algumas companhias foram avisadas antes da divulgação pública do Venom e já lançaram atualizações de correção — a preocupação está nos sistemas que não oferecem atualizações automáticas. A Oracle, do VirtualBox, promete um patch de manutenção em breve e alega que o tal código não está ligado por padrão nas máquinas virtuais da plataforma.

Fonte: TechMundo

Netrunner Tecnologia migra todos os serviços para a Amazon AWS.

31, agosto, 2014 Sem comentários

Após analisar minuciosamente diversos fornecedores de serviços em Cloud, a equipe técnica da Netrunner Tecnologia escolheu a Amazon AWS como seu principal fornecedor, a decisão foi tomada, após diversos problemas com o antigo fornecedor.

Netrunner Tecnologia x SEP Software x ManageEngine x Amazon AWS

As parcerias fechadas pela Netrunner Tecnologia foram vitais para a decisão.

Entre os diversos problemas enfrentados, estão o atendimento ineficiente da equipe de suporte e a indisponibilidade dos serviços, que só puderam ser detectados, devido a utilização das ferramentas OpManager e Applications Manager da ManageEngine. A Netrunner Tecnologia utiliza essas ferramentas para monitorar seus serviços.

Agora, nossos clientes contam com os serviços do maior fornecedor de Cloud do mundo, com altíssima disponibilidade e qualidade. Além do monitoramento pró ativo das ferramentas da ManageEngine.

A migração rápida e precisa, só foi possível, utilizando a ferramenta de backup da SEP Software, que permitiu a transferência de todos os dados de maneira simples e eficiente.

As opções de Backup e Disaster Recovery da SEP, são utilizadas mundialmente, e permite a rápida restauração de um ambiente perdido, em uma nova infraestrutura, seja ela física ou virtual.

“Essa decisão estratégica visa atender aos nossos clientes com o que há de melhor no mercado, tivemos diversos problemas com o antigo fornecedor, desde falhas no atendimento dos chamados, até indisponibilidade dos serviços, e isto é inaceitável no mundo digital.”, esclarece Rodrigo Miranda, diretor técnico da Netrunner Tecnologia.

Mais informações:
Site Netrunner – SEP Software

Site Netrunner – ManageEngine

Fonte: Blog Netrunner

 

Mirandell Sistemas inicia suas atividades SaaS.

30, novembro, 2012 Sem comentários

A Mirandell Sistemas, em parceria com grandes fornecedores de software e data center, terminou de desenvolver seu modelo de SaaS, sendo assim, toda empresa que quiser usufruir dos sistemas que a Mirandell Sistemas revende, poderá assinar o serviço e utilizar sem se preocupar com investimentos em hardware, software e gerenciamento de infra-estrutura.

Com servidores localizados preferencialmente no Brasil, os serviços rodam em máquinas baseadas em cloud, sendo assim caso o cliente necessite de um upgrade no serviço, o ajuste será feito de forma transparente, sem burocracia e gastos com projetos de ampliação.

Dentre os produtos oferecidos no novo modelo estão:

– SupportCenter Plus (ManageEngine)

A ferramenta ideal para suporte a clientes que integra gerenciamente de ocorrências, gerenciamento de contatos e SLA, base de conhecimento em um pacote acessível e fácil de usar. Ajuda a resolver os problemas dos clientes com o portal Self-Service, onde é possível pesquisar a base de conhecimento.

  • Gerenciamento de contratos e contas de clientes
  • Catálogo de produtos
  • Gerenciamento de ocorrências
  • Base de conhecimento
  • Portal self-service
  • Gerenciamento de SLA

– ServiceDesk Plus (ManageEngine)

Software de Help Desk e gerenciamento de ativos 100% baseada em web. Integrando abertura de chamados, rastreamento de ativos, pedido de compra, gerenciamento de contratos e base de conhecimento em um pacote fácil de usar e barato, permite aumentar a produtividade de sua equipe de serviços de TI e manter seus usuários satisfeitos.

  • Controle de chamados de Help Desk
  • Base de conhecimento
  • Gerenciamento de ativos de TI
  • Controle de ordens de compra
  • Gerenciamento de SLA e contratos
  • Aderência as compliances ITIL, SOX e outras

– SEP Sesam (SEP)

Solução completa de backup e restore que atende diversas aplicações e SOs, permite a exportação dos dados para storage em nuvem, sendo assim seus dados estarão sempre protegidos em casos de furto, roubo ou até ameaças climáticas.

  • Backup e restore em disco e fita
  • Deduplicação
  • Unidade WORM (Write once, read many)
  • Backup granular de arquivos, caixas de correio e mensagens
  • Backup configurável em multicanais
  • Velocidade otimizada
  • Compressão dos dados e criptografia.

Mais informações: Mirandell SaaS

Mirandell Sistemas agora é revenda INIT

24, junho, 2012 Sem comentários

A Mirandell Sistemas, empresa especializada em desenvolver soluções inteligentes para seus clientes firmou parceria com a Init Tecnologia. Agora além de oferecer soluções de segurança, backup e gestão, terá em sua gama de produtos uma empresa nacional líder na produção e desenvolvimento de thin computing. A Init é lider neste seguimento e possui certificações como CE, FCC, ROHS, UL e IMETRO.

Para mais informações, acesse o site da Mirandell Sistemas, lá você poderá conhecer um pouco mais sobre os modelos da INIT disponíveis.

 

Nuvem nas pequenas empresas pode reduzir CO2 em até 90%.

17, fevereiro, 2011 Sem comentários

Constatação é de estudo da Accenture encomendada pela Microsoft que comparou o processamento das aplicações no ambiente convencional e em cloud.

Organizações que transferem aplicações de negócios para nuvem podem reduzir entre 30% a 90% os gastos com energia elétrica e a emissão de gás carbono (CO2) por usuário. A revelação é de um estudo global realizado pela Accenture e WSP Environment & Energy (E&E), encomendado pela Microsoft.

Sob o tema “Cloud Computing and Sustainability: The Environmental Benefits of Moving to Cloud”, o estudo avaliou a emissão de CO2 e consumo de energia na infraestrutura de TI em companhias de pequeno por porte, grande e médio.

A pesquisa comparou o processamento de três aplicações da Microsoft mais utilizadas nas companhias no ambiente tradicional e na nuvem. Os sistemas analisados foram o de e-mail Exchange Server 2007, o de compartilhamento de conteúdo SharePoint Server 2007 e o de gerenciamento de relacionamento com o cliente Dynamics CRM Online.

Uma das principais conclusões do estudo foi que as pequenas empresas, com rede de até  cem usuários, foram as que mais se beneficiaram do modelo de cloud computing. Enquanto as grandes registraram uma economia de energia e emissão de CO2 da ordem de 30% os ganhos nos pequenos negócios chegaram até 90%. Nas médias, esse índice ficou em 78,7%

O arquiteto de soluções sênior da Microsoft Brasil, Otávio Pecego, avalia que as economias são menores nas grandes companhias em razão de elas terem maior governança da área de TI. Essas empresas também compartilham mais a infraestutura.

Já as pequenas têm menos maturidade em TI. Além disso, Pecego observa que essas empresas têm menos usuários para usar o mesmo ambiente e que o custo de propriedade é maior.

O executivo destaca que a redução de energia e CO2 conquistado pelas empresas com cloud computing é resultado de quatro fatores. Um deles é o provisionamento dinâmico, que permite ocupar mais espaço em disco sem a necessidade da compra de mais hardware.

A segunda causa é a hospedagem múltipla em que uma única máquina pode ser compartilhada por diversos usuários. A terceira é o uso de menos servidores na infraestrutura de TI e o quarto é a eficiência do centro de dados que passa a operar com sistemas automatizados que reduzem o consumo de energia.

Fonte: Site Computer World

Três erros capitais em projetos de computação em nuvem

18, novembro, 2010 Sem comentários

São diversos os problemas que podem levar projetos de cloud computing ao fracasso, mas quase todos existem por conta de três erros capitais.

 

Muitas corporações estão trabalhando em projetos de cloud computing, elaborando desde protótipos simples e rápidos a completas migrações de sistemas empresariais. Enquanto muitos são bem sucedidos, outros estão comendo poeira.

As razões para falhas variam, mas já dá para observar alguns padrões. Elas podem ser resumidas sempre nas mesmas três razões:

1 – Regras de conformidade incompreendidas
Nesse caso, parece haver dois padrões: um é presumir que os dados não podem residir em nenhum lugar que não seja o data center, com a justificativa de questões de complexidade. Mas ninguém se importa em testar essa premissa e frequentemente não há nenhum problema real em dividir os dados nas nuvens. O outro é presumir que não há problemas de governança e logo se ver em situações perigosas, onde os dados vão parar onde definitivamente não deveriam estar. Qualquer exagero ou displicência com relação à conformidade provoca falhas.

2 – Apostar no modelo errado
Nem todos os fornecedores de cloud computing são iguais e alguns possuem o péssimo hábito de encerrar os serviços para evitar problemas com canais de distribuição. Isso aconteceu quando a EMC encerrou o trabalho com sistema de storage como serviço Atmos para trabalhar mais com parcerias. As chances são de que grandes fornecedores façam o mesmo ao perceber que cloud é mais uma substituição do que um avanço de suas próprias tecnologias. O ideal é estudar o mercado e optar pela proposta mais consistente e segura.

3 – Deixar o departamento de TI fora do jogo
Muitos projetos de computação em nuvem  acabam saindo do departamento de tecnologia, principalmente em casos de adoção de software como serviço (SaaS), soluções de storage online, entre outros. É compreensível que, em muitos casos, a TI seja vista mais como uma barrreira para desenvolvimento de projetos, mas a resposta real para esse problema é fazer com que os técnicos tenham a mente mais aberta sobre o uso da computação em nuvem para se moverem mais rápido no sentido de gerenciar infraestrutura e aplicações que melhores suportem os negócios, garantindo consistência na companhia.

Fonte:  Computerworld

Categories: Cloud Computing Tags:

Três entre cinco CIOs pretendem adotar cloud computing.

29, julho, 2010 Sem comentários

Mesmo com o interesse das organizações, elas têm optado por cautela, ao migrar apenas projetos-piloto e aplicações não críticas para a nuvem.

A partir da entrevista com 140 executivos responsáveis pela tomada de decisão de TI nas empresas, a consultoria TPI detectou que quatro em cada cinco CIOs estuda soluções em cloud computing (computação em nuvem). Além disso, três em cada cinco profissionais pretendem realmente implementá-las.

“As organizações que estão migrando alguns serviços de TI para a nuvem têm feito isso com projetos-piloto ou com soluções de baixo risco”, declarou o responsável pela unidade de negócios de cloud computing da TPI, Kevin Smilie. “Elas não estão convencidas de que os serviços de nuvem estão prontos para atender às exigências  das operações mais nobres”, acrescenta.

Embora quase metade dos pesquisados considere virtualizar servidores e desktops, serviços de armazenamento baseados em nuvem e hospedagem de e-mails e aplicativos de mensagens, eles estão sendo mais cautelosos sobre o movimento de sistemas core business nessa plataforrma: apenas 10% estavam contemplando a nuvem de ERP; e apenas 7% estavam discutindo implementar aplicações verticais da indústria baseadas na nuvem, como softwares médicos de faturamento e sistema de reservas das companhias aéreas, de acordo com o TPI.

“Esses serviços são demasiadamente importantes para os clientes para que o mercado insira-os tão cedo no cloud computing”, disse Smilie.

As principais preocupações das empresas com a nuvem

A pesquisa da TPI considerou que os compradores de TI tiveram cinco preocupações a respeito do cloud computing:

– 79% preocupam-se com a segurança dos dados, achando-a inadequada;

– 50% preocupam-se com os requisitos de regulamentação;

– 50% preocupam-se com a continuidade dos negócios ou questões de recuperação em caso de crash;

– 49% preocupam-se com a integração dos sistemas.

Já o punhado de pioneiros que utilizou as ofertas de cloud computing no ERP, implementando até mesmo aplicações verticais na nuvem tem feito isso por uma razão, segundo Smilie: redução de custos. “As empresas têm gasto enormes quantidades de capital e fundos operacionais na implantação e manutenção desses sistemas ao longo dos anos. Dada a escolha, eles não querem continuar com esse comportamento.

Smilie comenta que a maioria dos clientes optará por serviços de nuvem privada para aplicativos de missão crítica, para atenuar os riscos, enquanto elas deslocarão seus investimentos em software de capital para despesas operacionais. “Os clientes querem serviços em nuvem que atendam suas necessidades de negócios a custos mais baixos, com os níveis de serviço de classe empresarial e de segurança. E, geralmente, eles não estão no espaço de nuvens públicas”, afirmou Smilie.

“Os prestadores de serviços de TI estão respondendo com ofertas de cloud privado destinadas a atender às demandas de segurança dos compradores de Tecnologia”, declarou Smilie. “O conceito de cloud público iniciado para o consumidor trabalha com a proposta de que todos aceitam o mesmo nível de serviço e segurança. Essa opção simplesmente não existe para as grandes empresas”.

Fonte: Computer World

Veja a versão do IDG: Clique aqui

Categories: Cloud Computing Tags: ,

Windows Azure: MS na nuvem

20, novembro, 2009 Sem comentários

A Microsoft anuncia nesta terça-feira, 17, a disponibilidade da plataforma Windows Azure, solução da empresa para a computação na nuvem.

O sistema operacional voltado ao desenvolvimento, hospedagem e serviço de gestão de aplicações web é uma plataforma aberta que dá suporte a linguagens Microsoft ou de terceiros.

Segundo Ray Ozzie, gerente de arquitetura de software da Microsoft, o sistema foi desenhado para o futuro, mas é familiar para os dias de hoje.

Matt Mullenweg, fundador do WordPress e da Automatic, anunciou que sua companhia adotará o sistema. O WordPress, plataforma de criação de blogs, é conhecido por utilizar majoritariamente ferramentas open source como Apache e MySQL.

O sistema será lançado em 1° de janeiro mas os consumidores não serão cobrados até o primeiro dia de fevereiro.

Links Relacionados
– Windows Azure

Fonte: Site Baguete

UOL lança cloud computing.

20, novembro, 2009 Sem comentários

O UOL Host anunciou o lançamento dos serviços de cloud computing nesta quarta-feira, 18.

Batizado de Nuvem UOL, o serviço funcionará como um “shopping de aplicativos”, no qual as empresas poderão adquirir e utilizar diversas ferramentas.

Em breve, desenvolvedores de software poderão oferecer soluções por meio da Nuvem UOL.

“Hospedamos o maior número de servidores do Brasil, cuja segurança e disponibilidade são testadas diariamente pela própria natureza do portal”, destaca Vinícius Pessin, diretor da empresa de data center do UOL.

Tendência em alta – a Microsoft, uma das empresas mais reticentes ao modelo, lançou hoje sua plataforma em cloud, o Azure – os serviços de computação na nuvem devem ultrapassar US$ 56 bilhões em 2009, aponta o Gartner. A cifra representa uma alta de 21% frente ao ano passado.

Para 2013, a consultoria espera que o mercado atinja faturamento de US$ 150 bilhões.

Até setembro, a receita bruta de serviços foi de R$ 690,2 milhões. O lucro ficou em R$ 80,8 milhões, o que representa crescimento de 7%. O número de assinantes pagantes de banda larga atingiu 1,31 milhões em setembro de 2009, aumento anual de 17%.

Fonte: Site Baguete

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux