Arquivo

Arquivo de abril, 2010

Como enviar e-mail utilizando o Google Apps.

23, abril, 2010 Sem comentários

Caros,

Para utilizar o Google Apps como emissor de emails, basta utilizar o código abaixo no ASP, em breve publicarei o mesmo para VB.NET.

Baixe o código aqui .

Categories: ASP Tags: ,

Candidatos e candidatas do Brasil: mouse à obra!

23, abril, 2010 Sem comentários

Porque quem não é visto não é lembrado e o candidato(a) que não tiver presença online nesta eleição sente e espere mais quatro anos, ou pelo menos dois até a campanha municipal de 2012. Nunca a Internet será tão usada para fins eleitorais como neste ano de 2010.

Na verdade, a Internet já é usada para quase todos os fins, mas parece que os políticos ainda não tinham entrado de cabeça na web. Um pouco por culpa do próprio TSE que nos últimos pleitos também estava confuso quanto à permissão ou proibição. Mas aos poucos, como melancia em cima de caminhão que vai se acomodando conforme o andar na estrada parece que, em 2010, a campanha vai deslanchar na WEB.

A campanha virtual está próxima. Segundo a legislação do TSE, a Internet estará liberada a partir da zero hora do dia 5 de julho do ano da eleição, portanto, é aquilo: o galo que acorda primeiro come mais minhoca! Candidatos e candidatas do Brasil, mouse à obra, pois a contagem regressiva já começou.

Foi assim nos Estados Unidos com o Barack Obama, o senador sem muitos recursos financeiros para bancar uma campanha presidencial bilionária. E lembrando, Obama começou sua campanha com dois anos de antecedência porque tinha que vencer as primárias, contra a ex-primeira dama democrata, Hillary Clinton para ser o escolhido para concorrer à Casa Branca.

O final da história todo mundo já conhece, mas foi a Internet, a rede mundial que tornou possível uma vitória da oposição, Obama, contra a situação, o republicano John McCain. Obama venceu porque o boca-a-boca na Internet funciona, é rápido, reúne milhões de pessoas e até nem custa tanto dinheiro quanto se gasta numa publicidade mais ortodoxa. É estratégia, é relação interpessoal, é o buzz-marketing puro e simples.

Ah, lembrando que o Twitter não existia e nem bombava como hoje em dia!

Mas voltando à nossa República, resta pouco tempo para quem pensa em usar com a devida estratégia a Internet aqui no Brasil. Porque estratégia é sempre a arma nas eleições. Comparemos uma ação real: nenhum candidato paga para um abanador de bandeira ficar num beco de favela, o cara marcha com uma diária de 15 reais ou 10, para o felizardo abanador ficar postado numa esquina boa, de movimento com um bom “target”. Por que não usar este expertize para o mundo virtual?

O TSE já publicou suas regras: pode site, blog, Orkut, Twitter, Facebook, MSN, etc., só não pode propaganda paga em Portais, Links Patrocinados. Não entendo o porque disso. Nos jornais de papel somos obrigados a “consumir” anúncios de político sorrindo – acho que da nossa cara –  na capa, nas páginas internas, mas data venia, na web não pode! Enfim, mas até o Vale Tudo do Tim Maia tinha restrições, paciência.

Só o que já está liberado é um grande terreno para o plantio. Já a colheita,  depende das ações digitais, das melhores ideias e do prazo! Está liberado, também, o envio de mensagens eletrônicas, o famoso email-marketing, e desde que não seja utilizado o expediente de compra de listas de contatos, cessão ou doação das mesmas por empresas públicas ou privadas. Além disso, é obrigatório que o email-marketing ofereça a opção de descadastro, o chamado opt-out – “quero sair” da lista! Aliás, coisa que já é praxe para muitos e não é para outros tantos; viva o Código de Regulamentação!

Nascido o Marketing Político na Internet, agora resta que os nobres candidatos e candidatas usufruam dele corretamente. Em primeiro lugar, conheça e escolha uma agência digital especializada em desenvolvimento e presença web para lhe auxiliar neste quesito. É imprescindível isso.

Fuja do sobrinho do vizinho do assessor do amigo do candidato, pois profissionalismo e atitude tem preço. Fuja igualmente do muito barato, da barbada porque pode ser que o candidato que utilizou a melhor estratégia se eleja e o outro que usou o “faz de qualquer jeito”, não. Não existe mágica para se obter alto retorno, baixo investimento e sucesso. Mais do que criar sites pense na presença digital que o candidato merece. No buzz marketing que o relacionamento virtual poderá render.

Mas atente para o conteúdo. Candidato que imaginar que o eleitor que navega na web é besta comece a mudar sua atitude agora, urgente! Não embarque nessa barca furada. Eleitor que navega em portais, blogs, redes sociais não é o mesmo eleitor que troca voto por imã de geladeira, abraço. Essa época acabou.

Aliás, segundo também o TSE é terminantemente proibido distribuir qualquer tipo de brinde ao eleitor: seja uma simples camiseta, canetinha, escova de dentes, etc. Distribuam conteúdo, nobres candidatos e candidatas. O eleitor-internauta mudou e poderá mudar de candidato também! Boa sorte, candidatos e candidatas, e não esqueça: mouse à obra que o dia 5 de julho está quase aí.

Fonte: Site Baguete

Categories: Geral Tags: ,

O legítimo banco de dados.

1, abril, 2010 Sem comentários

Categories: Piadas Tags:
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux